Cuidado com seus pés

Olá pessoal!

Sei bem quanto os profissionais da saúde exigem dos seus pés durante o desenvolvimento de suas atividades. Ficar por longos períodos em pé, além de causar problemas circulatórios nos membros inferiores (varizes) e na coluna (lombalgia, artrose), ambos abordados em posts anteriores aqui e aqui, causam injúria aos pés.



Anatomia

Os pés são muito explorados no dia a dia e não recebem a atenção necessária.

Mesmo sendo uma parte pequena do seu corpo, são extremamente importantes, pois te proporcionam a capacidade de locomoção e equilíbrio.

Os pés têm 26 ossos, 33 articulações, 114 ligamentos e 20 músculos. Portanto, em cada plantão, você movimenta essa estrutura durante cerca de 12 horas.

As articulações são formadas pelos ossos unidos por meio dos ligamentos. Os movimentos existem graças à ação de contração e extensão dos músculos, vindas de impulsos do sistema nervoso central por meio de um nervo.

Problemas

O peso constante em cima dos pés causa fadiga. O problema para os enfermeiros é que essa situação é uma constante – durante horas, todos os dias.

Portanto, tente, na medida do possível, fazer pausas intercalando com períodos em posição sentada.

Depois de algum tempo, os pés acabam adquirindo alterações anatômicas, calosidades, bolhas, rachaduras ou até mesmo desenvolvendo processos inflamatórios, fascite plantar – esporão (protuberância óssea na base do osso calcâneo), síndrome de Haglund (esporão dorsal do calcâneo), entre outras.

No caso de deformidades, plano valgo (pés chatos) ou pé cavo (arcos mais altos), uma alternativa é a utilização de órteses para inserção dentro do calçado, que melhoram a biomecânica dos pés.




O que fazer

Então, depois do plantão, reserve-se o direito de um escalda-pés relaxante. Coloque em uma bacia, água morna, massageador (se não tiver, use bolinhas de gude) e uma colher (sopa) de sal grosso. Se puder acrescente cânfora para aliviar o cansaço. Deixe os pés imersos e esfregue-os nas bolinhas.

Dicas:

  • Use calçado adequado, que alivie impactos
  • Evite saltos mais altos, pois eles cansam e estimulam o aparecimento de joanete
  • Troque frequentemente de calçados, e não use o mesmo calçado vários dias seguidos, pois a ventilação é necessária
  • Enxugue bem os pés, já que a umidade favorece a proliferação de fungos e o aparecimento de micoses
  • Use meias de algodão, que ajudam a absorver a umidade e evitar a podobromidrose (odor desagradável)
  • Mantenha as unhas curtas, pois o corte adequado evita encravamento
  • Faça hidratação – dê preferência para cremes com uréia, que possuem ação hidratante e estimulam a regeneração celular
  • Quando puder, sente-se e eleve os pés na ltura do coração, usando um banco, cadeira ou pufe. Isso diminui o edema e força os fluídos a voltarem para a circulação sistêmica

Além desses cuidados, existem tratamentos realizados por profissionais como o tratamento com podólogos, a acupuntura, a reflexologia e a massoterapia.

Lembre-se sempre de cuidar dos seus pés.

Se você gostou e quer receber nossos artigos semanais, cadastre-se em nossa Lista de Leitores. Obrigada.

SE VOCÊ É ENFERMEIRO, TÉCNICO OU ESTUDANTE DE ENFERMAGEM, FAÇA PARTE DA NOSSA LISTA DE LEITORES!

Cadastre seu email para receber gratuitamente nossos artigos, matérias e atualizações!

Nós respeitamos sua privacidade e jamais enviamos spam!

Prof. Dra. Elizabeth Galvão

Doutora em Ciências (EEUSP), pós-graduada em Administração Hospitalar (UNAERP) e Saúde do Adulto Institucionalizado (EEUSP), especialista em Terapia Intensiva (SOBETI) e em Gerenciamento em Enfermagem (SOBRAGEN). É professora titular da Universidade Paulista no Curso de Enfermagem, e professora do Programa de Especialização Lato-sensu em Enfermagem em Terapia Intensiva e Enfermagem do Trabalho na Universidade Paulista.


Prof. Dra. Elizabeth Galvão on Linkedin

Send this to a friend